VIAGENS E IMAGENS 

images/navbar1x4.gif

 HOME  |  DESTINOS  |  QUEM SOMOS  |  CONTATO  |  DICAS
 
Principais destinos:
Belém
São Luis
Fortaleza
Natal
João Pessoa
Recife
Maceió
Aracaju
Salvador
Rio de Janeiro
São Paulo
Curitiba
Florianópolis
Porto Alegre
Belo Horizonte
Palmas
Brasília
Porto Velho
Vitoria e Vila Velha
Manaus
Boa Vista
 
Destinos Nacionais
 
Destinos Internacionais
 
Destino dos sonhos
 
Roteiros
 
Bate e Volta
 
Página inicial
 

                                               BELÉM                                             

Quando se fala em Belém, todos os pensamentos remetem ao Círio de Nazaré, ao mercado Ver-o-Peso e ao pato no tucupi. A capital paraense, porém, tem muito mais a oferecer. Desde 2000, a cidade passa por um processo de revitalização que vem repaginando a arquitetura local - mas sempre preservando as características originais. Foi assim com a Estação das Docas, um abandonado conjunto de armazéns do porto, às margens da baía do Guajará. A bela estrutura em ferro inglês ganhou paredes de vidro e ar-condicionado e o status de espaço cultural e gastronômico, reunido bares, restaurantes, exposições de arte e cinema. A mesma receita foi utilizada no antigo presídio São José, rebatizado como Pólo Joalheiro e que hoje abriga o Museu das Gemas do Estado e a Casa do Artesão. E também na casa das Onze Janelas, um sobrado encantador que funcionou como hospital militar transformado em galeria de arte. 

O cenário conta ainda com o glamour do Theatro da Paz, financiado pelos barões no auge do Ciclo da Borracha; e com a suntuosidade das igrejas, entre elas a Catedral da Sé e a Basílica de Nazaré, pontos de saída e chegada do Círio, a maior procissão católica do país com mais de dois milhões de participantes.
Mas nem só de arquitetura vive Belém, conhecida até pouco tempo atrás como a rústica porta de entrada para a Amazônia. Deste período permanece - firme e forte - o mercado Ver-o-Peso, o ponto de encontro dos belenenses e melhor lugar para os turistas apreciarem os exóticos sabores e aromas regionais. Nas centenas de barraquinhas encontra-se de tudo um pouco: variadíssimas frutas, temperos, ervas e o tradicional tacacá, um caldo feito com tucupi (goma de mandioca), jambu (erva local), camarão seco e pimenta-de-cheiro. A iguaria é servida fervendo, apesar do calorão que assola a capital o ano inteiro. Falando em gastronomia, a cidade ganhou muitos pontos no quesito. É grande a oferta de bons e charmosos restaurantes especializados em cozinhas diversas, mas que sempre reservam surpresas com os ingredientes locais.
A rica e diversificada natureza do Norte do país se faz presente na capital. Pelas ruas, mangueiras garantem a sombra para amenizar as temperaturas, enquanto os parques e bosques revelam um pouco da vida na selva. No Mangal das Garças, à beira da orla fluvial, centenas de espécies da flora e da fauna nativas podem ser apreciadas em um agradável passeio.  Fonte: Feriasbrasil.com.br
A ilha de pescadores reúne as praias mais bonitas e sossegadas do Pará. Rústica, é acessível por barcos, não sendo permitida a circulação de carros - as únicas maneiras de explorar as belezas da região são a pé ou de carroça. A rusticidade continua na infraestrutura, que oferece pousadas e restaurantes bastante simples, porém, com hospitalidade cinco estrelas. Completam o visual as casinhas de madeira, as choupanas de barro e as jangadas coloridas.
 

 

 

Parque da Residência                                                         Baia do Guajará (Feira do Açaí)


O que ver e fazer: Bairro de Cidade Velha, Mangal das Garças (parque que fica às margens do rio Guamá), Polo Joalheiro (Museu São José Liberato), Theatro da Paz, praças da Republica e Batista Campos, suntuosas igrejas entre elas a Catedral da Sé e a Basílica de Nazaré (pontos de saída e chegada do Círio), Estação das Docas (complexo gastronômico e cultural), Portal da Amazônia, Complexo Feliz Lusitânia composto pelo Forte do Presépio, Casa das Onze Janelas Igreja de Santo Alexandre e Museu de Arte Sacra, Complexo do Ver o Peso, Mangal das Garças, Bosque Rodrigues Alves e Museu Emilio Goeldi, as praias de Mosqueiro e Salinas, artesanato marajoara em Icoaraci, degustar as receitas típicas, como o pato no tucupi e o tacacá caldo feito com tucupi, goma, jambu (erva local) e camarão seco e claro o Açaí.


 

Trasladação                                                                                                     Círio

 

Igreja das Mercês                                                                  Palácio Antonio Lemos

Aqui + fotos

 

 

   

Complexo Feliz Lusitânia                                                                         Feira do Ver o Peso

 

Praça do Relógio                                                                                           Ver o Peso

 

Ver o Peso                                                                             Forte do Presépio ou Forte do Castelo

 

Palácio Lauro Sodré                                                                         Palácio Antonio Lemos

 

Todas as fotos deste site  são de autoria de Antonio Alberto Q. Castro (Cidade de Tucuruí).  test